2

AMES-BH se reune com responsável pela regulamentação do Meio Passe

    Hoje, após a vitoriosa manifestação dos estudantes no centro da capital, a AMES-BH foi recebida pelo responsável da prefeitura pela regulamentação do meio passe, Paulo Bressea e um representante da BHTRANS.



    Durante a reunião, a prefeitura apresentou somente as condições já debatidas entre os representantes do governo, sem a participação dos estudantes, sem apresentar propostas para ampliação dos recursos para o “fundo do meio passe” nem sobre o controle da emissão do meio passe pela sociedade através da confecção da carteira de estudante da AMES-BH (legítima entidade responsável pelos avanços na luta do meio passe em BH).


    Após uma grande ofensiva da AMES-BH, a prefeitura ampliou a discussão e apresentou a necessidade de garantir junto aos órgãos do governo, a ampliação do fundo e marcou outra reunião para amanhã. Nessa reunião será decidido o controle do meio passe onde a AMES-BH defende claramente junto aos estudantes que este direito não pode ficar somente sobre o controle das empresas do transporte coletivo e prefeitura que nos negam este direito a mais de 25 anos, além disso, será resolvido também como os estudantes irão se cadastrar para ter acesso ao meio passe.


Meiby Martins e Lincoln Emmanuel, estudantes do CEFET-MG  e IEMG
0

MEIO-PASSE PARA TODOS OS ESTUDANTES!



     Os estudantes organizados pela AMES-BH, essa semana, obtiveram uma vitória histórica. Depois de 25 anos de luta fomos recebidos pelo prefeito que sancionou a lei que concede o meio-passe estudantil, porém a verba que a prefeitura destinou para essa lei atinge somente cerca de 10 mil estudantes da capital. E, além disso, a população de Belo Horizonte foi mais uma vez saqueada com o aumento abusivo das passagens. A AMES-BH luta por um meio-passe para todos os estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior, além dos cursinhos.
     Os recursos destinados são insuficientes e para mudar essa realidade cerca de dois mil estudantes insatisfeitos com essa situação se mobilizaram nesta quarta-feira, dia 23 de fevereiro, e pararam o centro da capital por mais de 4 horas exigindo meio-passe para todos sob o controle da sociedade. A manifestação se manteve com muita agitação e palavras de ordem, cobrando que o governo do estado, o governo federal e os empresários do transporte coletivo participem do financiamento do meio-passe. E não para por aí, a passeata pelo centro da cidade contou com grande apoio popular dos trabalhadores rodoviários e de toda população. E graças a nossa pressão a manifestação resultou em uma grande repercussão na cidade e em uma reunião com a prefeitura e a BHTRANS às 14h do dia de hoje para discutir as nossas propostas, que seguem:

1)      Meio-passe para todos os estudantes de Belo Horizonte;
2)      Ampliação do Fundo Municipal do meio-passe, com verba da PBH, do Governo de Minas Gerais, do Governo Federal e dos empresários do Transporte Coletivo;
3)      Controle do direito com a carteira da AMES-BH em parceria com a PBH e a BHTRANS;
4)      Congelamento do preço das passagens no transporte coletivo de BH e região metropolitana;
5)      Implementação real da expansão do metrô com o término da construção da linha Calafate Barreiro e sua expansão para as outras regionais de Belo Horizonte;
6)      Fim da superlotação e melhoria na qualidade dos ônibus.                       

Grandes vitórias foram conquistadas, porém a luta não pode parar. Devemos continuar pressionando a prefeitura exigindo que o fundo financeiro contemple a todos os estudantes, e para garantirmos que os estudantes participem da regulamentação da lei.


Antônio, Larissa e Sabrina, estudantes do Leopoldo de Miranda e CEFET-MG
2

VITÓRIA DOS ESTUDANTES: MEIO PASSE SANCIONADO! MAS A LUTA NÃO PARA!


 
Hoje, dia 21 de fevereiro de 2011, uma importante página da história do movimento estudantil foi virada em Belo Horizonte: a lei que garante o meio-passe estudantil foi sancionada. O dia foi iniciado com uma manifestação partindo da Praça 7 até a prefeitura onde no Salão Nobre da prefeitura, às 11h da manhã, foi iniciado a ato com a presença da Secretária Municipal de Educação Macaé Evaristo, do Secretário Municipal de Políticas Sociais Jorge Nahas, do Deputado Estadual Paulo Lamac, do Deputado Federal Reginaldo Lopes, do Presidente da AMES-BH Gladson Reis, e representantes dos grêmios do COLTEC, Estadual Central, CEFET-MG, Professor Morais, Comissão Pró-Grêmio do IEMG, dos DCE's da UFMG, UNA e FABRAE além de vários estudantes de outras escolas e de vários vereadores.
O Prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda assinou a lei do meio-passe que havia sido aprovada, em 2º turno, na Câmara Municipal de Belo Horizonte no dia 20 de Dezembro de 2010. Com isso a luta pelo meio-passe, que perdurava a mais de 25 anos, entra em uma nova fase, em que o movimento estudantil se fortalece para conquistar o meio-passe para todos os estudantes. Esta vitória foi reflexo de diversas mobilizações, debates, seminários, dentre outros, que nos últimos 8 anos foi retomada pela AMES-BH.
A lei sansionada ainda será regulamentada, o prefeito assinou um documento se comprometendo que o regulamento será construido em conjunto a AMES-BH debatendo as propostas dos estudantes. Esta reunião será ainda este mês.

Mobilizações Continuam: Meio-Passe Para Todos

A Lei aprovada, apesar de representar uma conquista muito importante para o movimento estudantil popular do país, não foi suficiente para garantir que esse direito seja executado da melhor maneira. É extremamente importante que todos os estudantes de Belo Horizonte sejam atendidos por essa lei, assim como ocorre em todas as capitais e em grandes cidades que não há distinção entre estudantes que são beneficiados pelo passe estudantil.
Para que todos os estudantes da nossa cidade sejam atendidos pelo meio-passe é essencial que os recursos do Fundo Municipal de Auxílio ao Transporte sejam ampliados. Atualmente a Prefeitura disponibiliza cerca de 4,5 milhões de reais para esse fundo, o que não contempla nem os estudantes atendidos por programas sociais do governo (prioridade da lei). É importante lembrar que Belo Horizonte está entre as cinco capitais mais ricas do país e possui recursos suficientes para garantir o acesso à educação. Vale ressaltar também que Belo Horizonte se encontra atrasada há mais de 25 anos em relação às outras capitais, que em seu conjunto, já garantiram esse benefício.
Outra questão de grande relevância é o controle do meio-passe pela sociedade. É necessário garantir o funcionamento do Conselho que irá fiscalizar e administrar os recursos do Fundo, com a participação dos estudantes através da AMES-BH. Além disso, é importante que os estudantes possam, junto com o poder público, emitir o documento comprobatório para o acesso ao meio-passe, que deverá ser a carteira de estudante da AMES-BH.

Pela redução do valor das passagens! Melhoria na qualidade dos ônibus de BH!

Um dos aspectos importantes para os estudantes e a sociedade é a discussão do acesso e da qualidade do transporte coletivo na capital.
De acordo com pesquisa divulgada pelo IPEA, no dia 24 de janeiro de 2011, o Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) sobre mobilidade urbana revelou que 44,3% da população brasileira tem no transporte público seu principal meio de deslocamento nas cidades. Na região Sudeste esse percentual atinge 50,7%. Um dos dados citados na pesquisa do IPEA, retirado da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), é o de crescimento dos gastos com transporte no País. Em 2000, esse tipo de serviço representava em média 18,7% das despesas de consumo do cidadão. Em 2010, chegou a 20,1%, enquanto a alimentação caiu de 21,1% para 20,2% no mesmo período. Esses dados deixam claro a situação preocupante da interferência do Transporte Coletivo na vida da população.
Além de oneroso às famílias, outra característica apresentada pelo IPEA é que os brasileiros avaliam o transporte coletivo como de péssima qualidade. Na capital mineira a frota de ônibus praticamente não cresceu nos últimos anos, e os cidadãos são sujeitos a ônibus sempre superlotados, sem ar condicionado, com um conforto muito aquém do possível. Outra situação que agrava o quadro é o fato de a terceira cidade mais importante do Brasil ainda não ter um Sistema de metrô condizente com a necessidade e a importância da capital mineira.

Nesse sentido, precisamos intensificar as mobilizações para que todos os estudantes de Belo Horizonte tenham acesso ao meio-passe e ampliar a defesa de um transporte coletivo de qualidade e acessível para todos os trabalhadores.

Nossas reivindicações continuam:
  1. Meio Passe para todos estudantes de BH;
  2. Ampliação do Fundo Municipal do Meio Passe, com verba da PBH, do Governo do Estado de Minas Gerais, do Governo Federal e dos empresários do Transporte Coletivo;
  3. Controle do benefício com a carteira da AMES-BH em parceria com a PBH e a BHTRANS;
  4. Auditoria das contas dos empresários do transporte coletivo;
  5. Congelamento das tarifas de transporte coletivo no valor de R$2,30;
  6. Ampliação do Sistema de Metrô de Belo Horizonte;
  7. Ampliação da Frota de ônibus em Belo Horizonte;
  8. Melhoria na qualidade dos ônibus de Belo Horizonte.


    Sabrina Santana, estudante do CEFET-MG
0

APÓS PRESSÃO DOS ESTUDANTES, PREFEITO SANCIONARÁ O MEIO PASSE!


A AMES-BH estava à frente da conquista do meio passe no final do ano passado. Mesmo depois dessa conquista o movimento não parou e continuamos pressionando a prefeitura para garantir aos estudantes o controle e o direito de todos ao meio-passe.
No dia 16/02 (quarta-feira) houve uma reunião da prefeitura juntamente com a AMES-BH e lideranças estudantis após uma manifestação, onde foi firmado o compromisso de sancionar a lei do meio passe na prefeitura no dia 21/02 ( 2ª feira).
Convocamos todos os estudantes a participarem desse ato pois além de sancionar o meio passe, queremos que ele funcione de forma ampla, para todos os estudantes.

FAÇA PARTE DESTA CONQUISTA

CONCENTRAÇÃO DIA 21 DE FEVEREIRO (SEGUNDA-FEIRA) 8 HORAS NA PRAÇA 7


Lincoln Emmanuel, estudante do IEMG
0

Todo apoio a greve dos rodoviários



  O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Belo Horizonte (STTR-BH) decidiu paralisar parcialmente os serviços a partir da 0h da próxima segunda-feira (14). O estado de greve já havia sido decretado nessa quinta (10), após uma série de reuniões.  Segundo o diretor do sindicato, Camilo Moreira, a paralisação pode ser suspensa caso as empresas apresentem novas propostas. 
  A categoria reivindica um reajuste salarial de 37%, além da redução da jornada de trabalho para seis horas diárias. Os rodoviários querem ainda o fim dos ônibus sem cobradores e participação nos lucros das empresas.  De acordo com Moreira, foi oferecido um reajuste de 8% e participação nos lucros de R$ 300, para quem possui rendimentos acima de R$ 1.000, e R$ 150, para rendimentos de até R$ 1.000.  
  A AMES-BH apoia esta luta, pois achamos justas as reivindicação dos rodoviários. É evidente que existem grandes contradições no transporte coletivo, não podemos aceitar que a máfia das empresas de onibus lucrem milhões de reais por dia enquanto os trabalhadores rodoviários recebem pouco, por um trabalho que é tão importante para a vida da cidade.
0

Fórum Sindical e Social avalia o Portal Minas Livre



Seminário vai ser realizado no dia 23 de fevereiro na sede do Sindieletro-MG

O Fórum Sindical e Social (FSS) vai realizar, no dia 23 de fevereiro de 2011, o Seminário de Avaliação do Portal Minas Livre, das 14 horas às 17 horas, na sede do Sindieletro-MG (Rua Mucuri, 271, Bairro Floresta, Região Centro-Sul de Belo Horizonte-MG). A atividade tem como objetivo fazer um balanço dos cinco primeiros meses e definir novas estratégias políticas para o portal, que é o canal de informação dos movimentos sindical e sociais no Estado. Estão convocadas todas as entidades que fazem parte do FSS.
O Portal Minas Livre está no ar desde o dia 24 de setembro de 2010. Neste período, o veículo de comunicação e informação se tornou um instrumento de enfrentamento com a censura imposta à mídia pelo Governo do Estado. O Portal Minas Livre vem contribuindo para furar o bloqueio midiático e divulgar os movimentos e as ações que confrontaram o autoritarismo em Minas Gerais.
Criado em 25 de dezembro de 2008, o Fórum Sindical e Social é formado por entidades representativas dos setores mais afetados pela política neoliberal no Estado. A conjuntura política em Minas Gerais e a posição quase unânime da mídia local em torno do projeto político do Governo Estadual desafiaram as entidades sindicais em buscar formas alternativas de comunicação. Desde então, o cenário se consolidou, deixando os sindicatos e os movimentos sociais cada vez mais sem voz.
Por causa disso, o Fórum Sindical e Social criou um instrumento de comunicação, o Portal Minas Livre, com o propósito de reunir informações das categorias e difundi-las interna e externamente. Este veículo também é um espaço democrático de debates e propostas para a sociedade.

Fazem parte do FSS: Ajosp. Affemg, Ames-BH, Assufop, Asthemg, CTB, CUT, Fammemg, Fisenge, FNU, MLC, MAB, MLB, MST, NCST, Psind, Saemg, Senge, Sindágua, Sind-Saúde, Sindieletro, Sindifisco, Sindsul, Sind-UTE/MG, Sindpol, SJPMG, Sinarq, Sinpro-Minas, Sitraemg, Sinttel, UCMG, UBES, UEE, UNE e Urbanos.

A presença de todos é fundamental. Compareça!

Contatos:
Júlio Cesar Silva: (31) 9925-3030
Rogério Hilário: (31) 8893-1478
Fernando Alves: (31) 9331-4477
7

PELA IMEDIATA REGULAMENTAÇÃO DO MEIO PASSE E CONTRA O AUMENTO DAS PASSAGENS!


Hoje, estudantes organizados pela AMES-BH, foram à Praça Sete com muita combatividade, para exigir a imediata regulamentação do meio passe e dizer não ao aumento das passagens. Estiveram presentes diversos grêmios que tiveram papel fundamental na conquista do meio passe, como o do Professor Morais e Estadual Central, assim como os DCE’s UFMG, UNA e Anhanguera.
Em dezembro do ano passado, o meio passe foi aprovado na Câmara dos Vereadores, fruto de diversas lutas travadas pelos estudantes ao longo de mais de 25 anos, que contaram com ocupações, atos e grandes manifestações. Em 2011, é necessário que o Prefeito Marcio Lacerda assine a lei até o dia 14 de fevereiro, para que ela possa assim sair do papel.
Desde o início de janeiro, foram diversas tentativas de contato com a Prefeitura, por meio de telefonemas, e-mails, e até mesmo indo pessoalmente às secretarias responsáveis pela regulamentação do passe, porém nenhuma resposta.
Além disso, a Prefeitura já iniciou o ano dando um péssimo presente à população: o aumento das passagens. Todos os anos ouvimos a mesma justificativa de que a inflação faz com que o aumento seja necessário, enquanto no final das contas, os donos das empresas de ônibus tem lucros cada vez mais exorbitantes. Sem falar na qualidade do transporte que, ao invés de aumentar, apenas diminui.
  Após o ato, foi realizada uma plenária com a presenças de várias entidades municipais, grêmios, DAs’ e DCE’s, na qual foram decididos os novos rumos dessa luta, e a importância de se aumentar cada vez mais nossa mobilização em cada escola e pela internet. Precisamos organizar mais atos, panfletagens e, por fim, uma grande manifestação em defesa do meio passe ainda no mês de fevereiro!
            Foi decidido que no dia 10 de fevereiro será organizado uma grande ato pela imediata regulamentação do meio passe e pela revisão do valor das passagens.
INGRESSE NESSA LUTA VOCÊ TAMBÉM!

Júlia Raffo, Presidente do Grêmio da E.E. Gov. Milton Campos (ESTADUAL CENTRAL)